Marcos Buaiz fala do suposto desentendimento com Zezé di Camargo

marcos-buaiz

Marcus Buaiz, genro de Zezé di Camargo e empresário da esposa Wanessa, falou sobre o suposto desentendimento que teve com o sogro em entrevista dada ao site “O Fuxico”. Vejam os trechos mais interessantes da entrevista:

O Fuxico: Como é o seu relacionamento com a família da Wanessa?

Marcos Buaiz: A Zilú é uma das mulheres que mais admiro na minha vida. Desde o primeiro momento que estou lá, sempre apoiou minha relação com a Wanessa. Mãe tem sexto sentido, percebe e sabe o que é uma relação. O Zezé, pra mim, é um gênio da música. A história dele está aí e não preciso contar, porque é linda

O Fuxico: Disseram que você e Zezé tinham brigado… O que tem de verdade nisso?

Marcos Buaiz: É a primeira vez que eu falo disso. Acho que ele é genial, mas o meu problema é com as pessoas que o rodeiam. Ele é cercado de abutres. Eu não convivo com quem eu não me dou bem e não estarei perto dessas pessoas. Não tenho problemas com ele. Disseram que meu problema com ele era por causa do sobrenome. Não ganho dinheiro com a Wanessa. Se ela ganhar R$ 1 milhão é R$ 1 milhão dela. Trabalho no projeto dela por amor. Me identifico com ela porque é batalhadora e sepre correu atrás do seu objetivo. Ela sempre quis trabalhar com o mercado pop e tinha grande resistência desse segmento. As pessoas antes de ouvirem suas músicas já tinham preconceiro, independente de serem boas ou ruins.

O Fuxico: Quando foi a última vez que você falou com Zezé?

Marcos Buaiz: Semanalmente eu falo com ele. Temos um relacionamento bacana.

O Fuxico: Como surgiu o processo de transformação para a Wanessa cair de cabeça no ritmo pop? A música Fly com o rapper da Ja Rule foi o pontapé inicial?

Marcos Buaiz: Essa música foi gravada em julho do ano passado. Ela ainda estava trabalhando o disco anterior. Levei para algumas pessoas que não admitiriam ter a Wanessa neste segmento e todo mundo gostou do trabalho. Fiz um teste cego, com muitos radialistas dizendo que esta era uma artista internacional que queria trazer ao Brasil e todo mundo gostou. Todo mundo mordeu a língua e Fly é uma das músicas mais executadas do Brasil. Sei que ela sempre batalhou por este espaço, não por vaidade, mas uma batalha de vida. Não acredito que um pai ou um familiar vendo uma pessoa feliz como está se apega a debater um assunto que não tem nada a ver. Ela não mudou o nome dela, afinal quem deu o nome de Wanessa. Tenho um carinho muito grande pelo Zezé.