Música sertaneja de “passarela”: um novo nicho de mercado?

Música sertaneja de “passarela”: um novo nicho de mercado?

Tudo bem que durante toda a história da música sertaneja, principalmente de uns 25 anos pra cá, alguns cantores conquistaram sim a atenção do público feminino não só por conta das músicas. Acontece que também é verdade que a música sertaneja nunca foi lá um indicativo de artistas dotados de um padrão de beleza respeitável. Um dos principais ” musos” sertanejos dos últimos 25 anos, o Zezé di Camargo, sequer gostava de ser fotografado sem camisa porque não se achava tão bonito assim. E se levarmos em conta o padrão ditado pela moda de uma forma geral, temos de concordar que ele realmente não seguia muito essa linha. Se considerarmos então a ala feminina da música sertaneja, aí sim é que não tínhamos quase nenhum exemplo de “musa”.

Mas desde que a música sertaneja se tornou a nova vedete da juventude brasileira, de uns 5 anos pra cá, o segmento passou a chamar a atenção da mídia. E na medida em que a música sertaneja se tornou midiática, coisa que não era no século passado, outros aspectos de seus artistas começaram a ser considerados. A música sertaneja ganhou de fato uma musa como nunca antes, a Paula Fernandes. Talvez atentos a isso, e pela necessidade da manutenção do apelo jovem na música sertaneja, é perceptível que de uns tempos pra cá tem ocorrido uma movimentação dos empresários no sentido de valorizar ainda mais o aspecto visual de alguns novos artistas. Quanto mais bonito ou bonita, maiores as chances de um grande escritório abraçar e lançar para o mercado, coisa que há alguns anos não era tãããão importante assim. Se fosse bonito, ótimo. Se não fosse, tudo bem, pra tudo dava-se um jeito.

Hoje em dia, a preocupação com a imagem, principalmente com o potencial “sexy” da mesma, parece ter alcançado uma importância inédita no mercado sertanejo. Artistas sertanejos já consagrados andam preocupados (pra não dizer obcecados) com a própria aparência, frequentando academia e postando uma foto atrás da outra dos resultados obtidos em redes sociais. Além da quantidade ou tamanho das vestimentas, que não parece mais ser um problema. A própria Paula Fernandes se apresenta quase sempre com roupas que hipervalorizam suas belas pernas e seu decote, além dos corpetes que acentuam suas curvas. Sem falar, claro, das fotos do encarte de seu mais recente disco. Entre os homens, as fotos seminus em redes sociais costumam trazer barrigas sempre trincadas, coisa que eles sempre fazem questão de demonstrar.

Esse aspecto do “muso”, ou do “boy magia”, se acentuou recentemente principalmente por conta do sucesso da dupla Munhoz & Mariano. Há dois anos as pessoas vêm dizendo (eu inclusive, aqui no Blognejo, já dizia isso há tempos) que o sex appeal do Mariano seria uma das principais armas da dupla na busca do sucesso. Entrou então um tal de Camaro Amarelo na jogada, o que os impulsionou para o sucesso nacional. E a manutenção desse sucesso pelo menos junto à mídia tem sido feita com base principalmente no sucesso do Mariano com as mulheres. Recentemente, ele chegou até a protagonizar, nu, um ensaio do grande fotógrafo de celebridades Fernando Torquato.

Não sei se por causa do Mariano ou não, o fato é que vários outros cantores que têm aparecido no mercado de bem pouco tempo pra cá parecem ter sido escolhidos direto em books de agências de modelo. Alguns, aliás, inclusive chegaram a exercer a profissão. Um dos exemplos mais evidentes desse que parece ser um novo nicho na música sertaneja, um filão a ser explorado, é o Lucas Lucco, que já desponta como uma das grandes apostas para 2013. Seu sucesso se deve principalmente à ótima aceitação de suas músicas. Mas é óbvio que essa pinta de modelo facilita muito o trabalho do escritório. É quase como se não fosse preciso divulgá-lo. A própria mulherada cuida disso.

Outro que também é oriundo das agências de modelo e tem feito todo o seu trabalho de divulgação baseando-se principalmente na sua beleza e no seu potencial sucesso junto ao público feminino é o Roberto Maia, que ostenta com orgulho o fato de ter as mulheres como mais de 90% de seus seguidores nas redes sociais.

Além destes, dois outros artistas lançados há poucos meses e que conquistaram um bom espaço com suas canções de trabalho também têm aproveitado o fato de serem bonitos para fazer esse trabalho de manutenção do sucesso, mesmo sendo eles uma mistura do tal sertanejo de “passarela” mencionado no título com o já conhecido estilo goiano, com os cabelos arrepiados e tudo mais. São meio que uma mescla do padrão de beleza que eu mencionei acima com o que era mais costumeiramente praticado no segmento sertanejo. Os nomes dos caras: Israel Novaes e Gabriel Gava.

* Israel Novaes

* Gabriel Gava

Entre as mulheres, como eu disse, esse nicho que valoriza um pouco mais a beleza e o padrão da moda parece estar sendo percebido mais tarde do que se esperava. Até pouco tempo, as mulheres que podiam ser consideradas bonitas no mercado sertanejo sempre gozavam de uma beleza mais própria, peculiar, como é o caso da Janaynna e de tantas outras beldades que surgiram nos últimos anos. São mulheres que, apesar de lindas, não seguem o tal padrão que eu mencionei. Com o sucesso da Paula Fernandes, que, apesar de não ser alta, tem mais a ver com esse padrão midiático, as coisas começaram a mudar aos poucos no lado feminino da música sertaneja.

É fato, entretanto, que demorou muito. A Paula Fernandes reinou sozinha durante dois anos. Depois, quando o mercado aparentemente se deu conta que há espaço sim para belas cantoras femininas cuja beleza tem mais a ver com a mídia, foi que alguns nomes começaram a despontar. Uma das moças que apareceram desde então e que seguem essa linha é a Thaeme, da dupla Thaeme & Thiago.

Pô, Marcão, mas nem ela nem a Paula têm nada a ver com moda. As duas são baixinhas e tals“. Ora, amigos, beleza as duas têm, ora bolas. Mas se talvez parecem me faltar elementos que comprovam essa minha teoria do “padrão de beleza da moda na música sertaneja”, posso citar alguns nomes que têm aparecido no mercado. A Laís, por exemplo. Além de cantar de forma magnífica, a moça é de fato linda, tem um sorriso altamente contagiante e se aproxima bem mais do padrão “passarela” do que as que eu mencionei logo acima.

Além da Laís, posso citar também o nome da Camilla Castro, cantora de Itumbiara que têm feito um trabalho interessante em alguns programas de TV fora do eixo principal, como por exemplo Sábado Total, Hoje em Dia, e alguns outros. Vejam a foto dela logo abaixo.

Ela segue totalmente esse padrão que eu mencionei. É alta, belíssima e fotogênica. Não creio que vá demorar até que ela seja percebida. Além dela, posso citar também a Taís Moreira, que estava participando do The Voice Brasil, mas foi eliminada na semana passada. Além de ter uma voz semelhante à da Ivete Sangalo, ela também tem tudo a ver com esse padrão de beleza. Alta, bonita, com perfil de modelo desde a ponta do cabelo até o dedo do pé. Apesar de não ter se classificado no The Voice, é bem provável que ela consiga muito em breve se encaixar em algum escritório.

Se no caso dos homens esse padrão de beleza já começa a se tornar bem mais evidente, no caso das mulheres acho que ainda vai levar um tempo até que o mercado perceba e abrace esse nicho. Não por elas, mas pelo próprio mercado em si. O fato é que o público feminino ajuda muito mais um artista a fazer sucesso do que o público masculino. E é complicado fazer a mulherada ter vontade de acompanhar uma cantora linda da mesma forma que acompanha um cantor lindo. Não que eu ache impossível. Na verdade, temos percebido mudanças neste aspecto. Prova disso é o sucesso da Paula Fernandes. É aguardar pra ver se esse nicho de mercado vai de fato emplacar, como parece ser a tendência.