Na Estrada – Banda Seu Maxixe grava primeiro DVD com canções próprias

Na Estrada – Banda Seu Maxixe grava primeiro DVD com canções próprias

Semana passada conheci uma das mais belas cidades do mundo durante uma viagem. Na quarta-feira, fui convidado para ir até Salvador, Bahia, para conferir a gravação do primeiro DVD da banda Seu Maxixe composto apenas por músicas próprias. Por “próprias”, entenda “que não são regravações”. É que não achei outra palavra melhor para definir, haja ista que são músicas de diversos compositores e não apenas dos membros da banda. É bom ressaltar isso antes que os compositores venham reclamar pra mim ou pra banda, hehe. E o termo “inéditas” também não caberia porque eles regravaram sim algumas canções do próprio repertório.

Na verdade, essa ocasião da gravação de um DVD somente com músicas próprias é mais importante para a banda do que parece. Tanto que toda a divulgação do DVD foi feita com base nisso. Para quem ainda não conhece, a banda Seu Maxixe figura entre os principais representantes da música sertaneja no nordeste brasileiro. Eles construíram uma carreira sólida de 5 anos com base em vários DVDs compostos de algumas poucas canções inéditas, mas principalmente de regravações de grandes sucessos sertanejos dos anos 90, preferencialmente, gravados numa pegada mais própria, mas sem perder as principais características sertanejas, como o romantismo.

Eu já insistia com eles pelo menos desde o ano passado, quando acompanhei a gravação do DVD anterior, para que gravassem um disco com canções próprias. É que a banda não esconde a vontade de estender sua área de atuação para as regiões sudeste, centro-oeste e sul. Um disco assim facilitará demais o processo de divulgação. Inclusive, entre os pouquíssimos convidados do DVD, estavam Odair Terra, que gravou com a banda cenas para o seu programa, o que já garante a eles uma divulgação maciça no estado de Goiás e aonde quer que o programa seja transmitido, o Ailton Benício, que é divulgador fortíssimo nos estados de Rondônia e Mato Grosso, e eu, que tenho lá a minha importanciazinha na Internet. Pouquíssimos convidados, mas convidados que contribuem para a estratégia da banda de continuar a inserção no mercado daqui de baixo.

A gravação aconteceu na véspera do feriado de proclamação da república. Participaram do disco o Léo Santana, do Parangolé, o Tomate e o Diego Faria, apenas este do segmento sertanejo. A banda chegou a conseguir algumas importantíssimas participações de grandes artistas do segmento sertanejo, mas por conta da data elas acabaram não acontecendo. Ainda assim, houve um comparecimento maciço do público e uma participação intensa em todas as músicas, principalmente nas mais conhecidas da banda, como “Coração Sem Noção”, que para os lados de cá ficou conhecida com Henrique e Diego com o nome de “Canudinho”, entre outras.

Foi até meio engraçado ver a banda tensa justamente por conta do repertório inédito. O medo da galera não participar de uma forma bacana e tudo mais. Mas o repertório foi muito bem escolhido, diga-se de passagem. O curioso é ver como justamente uma banda nordestina toma cuidado para não transformar a música sertaneja que tocam em axé enquanto uma gigantesca parte dos artistas sertanejos daqui de baixo fazem justamente o contrário. É um paradoxo.

A banda preza justamente pelo bom gosto nos arranjos, nas harmonias. Prioriza as canções românticas. O DVD trouxe várias músicas com cordas e outras com sopros. Além de um piano de calda no palco, para dar um aspecto ainda mais erudito ao disco. Sem falar, claro, que o Berguinho é um grande intérprete. Canta pra caralho. O que garante uma qualidade ainda maior nas músicas.

Para as imagens, trouxeram o pessoal da Terra Produções, que teve um trabalhinho extra no começo por conta de uma placa de LED que deu pau. LED sempre dá pau. LED é uma coisa do capeta, só pode. Isso ocasionou um atraso de uma hora para o começo da gravação e o consequente descontentamento do público, que depois ficou calminho de novo hehe, como sempre acontece. O disco foi gravado numa casa de Salvador chamada Barra Hall, que fica próxima à Barra, a famosa avenida que junto com a Ondina foram o principal circuito de trios elétricos do carnaval de Salvador.

Foram poucas as repetições. Basicamente, somente as participações foram gravadas duas vezes, o que é de praxe. No restante do tempo, a banda gravou direto a maioria das músicas. Algumas vezes, cantavam alguma coisa de fora do repertório do DVD, músicas do momento, só para evitar que o público perdesse o pique. Mas no fim das contas, o público permaneceu firme até o final da gravação, o que por si só já é uma conquista e tanto, principalmente quando se trata de um DVD com canções inéditas.

Valeu demais a viagem, claro, mesmo porque eu nunca tinha ido a Salvador. Mesmo que eu tenha perdido metade desses dois dias (sério, 24 horas no total, contando ida e volta) dentro de aviões e aeroportos, o que fez com que eu não aproveitasse a cidade como ela merecia, a viagem foi bastante agradável. O grupo Seu Maxixe sempre me recebe da melhor forma possível, quase como um membro do grupo. Chegaram até a me convidar para tocar no DVD algumas semanas atrás, convite que eu agradeci demais mas do qual prontamente declinei justamente pra não atrapalhar a gravação, hehehehe. Mesmo assim, já me considero um maxixeiro e torço muito pelo sucesso desse grupo. Que as demais regiões do Brasil o conheçam e o abracem assim como o Nordeste. Se a gente importa tanta coisa ruim de lá de cima, o que nos custa importar finalmente alguma coisa boa de verdade, não é mesmo?

Veja abaixo algumas fotos da gravação.