Na Estrada – Cristiano Araújo grava maior DVD do ano em superprodução da Hit Music

Na Estrada – Cristiano Araújo grava maior DVD do ano em superprodução da Hit Music

Em evento grandioso na sempre calorosa e calorenta Cuiabá, Cristiano Araújo gravou no último domingo seu mais novo projeto. O DVD “In the Cities”, concebido pela Hit Music e com produção musical do Dudu Borges, vem com a clara intenção de plantar o Cristiano Araújo em um lugar que já vinha sendo preparado para ele há algum tempo: o de iminente maior artista sertanejo do Brasil. Em termos de música e repertório, a mesma qualidade que todo mundo já conhece nos trabalhos do Dudu Borges. O grande trunfo e “derrubador de queixos” desta gravação, no entanto, foi mesmo o trabalho da Hit Music, que realizou ali o maior e melhor projeto de sua ainda curta mas promissora história.

Já é uma frase comum nas bocas de grande parte dos profissionais da música sertaneja: “Cristiano Araújo é um puta artista”. Sem dúvida alguma. Além da grande qualidade vocal, ele tem pleno domínio do palco e interação total com o público. Sua linha de trabalho o coloca sempre de bem com qualquer tipo de público, seja da classe A ou da classe E. O maior acerto de sua carreira até hoje provavelmente foi saber equilibrar esse estilo para que ele continuasse sempre agradando os mais variados ouvintes. Tanto que ele se dá bem tanto com o público de um Jorge & Mateus quanto com o público de um Eduardo Costa, só pra citar dois exemplos bem distintos.

A expectativa em torno deste projeto era que ele realizasse o feito de consolidar de vez o trabalho do Cristiano Araújo a nível nacional e desse a ele o status de principal artista do segmento, feitas todas as ressalvas quanto aos medalhões e aos artistas que já não podem nem mais fazem parte deste tipo de lista por conta da sua força já indiscutível, como Jorge & Mateus. Confesso que fiquei, no entanto, um pouco preocupado com alguns aspectos desta gravação. É que se a necessidade é de, primeiro, consolidar de vez o Cristiano Araújo nacionalmente, por que colocar um nome em inglês como título do projeto e por que convidar uma participação internacional totalmente desconhecida dos brasileiros? Estaria ele pulando etapas e já almejando uma carreira internacional antes mesmo de cravar a bandeira no território nacional de forma definitiva?

A proposta do projeto, no entanto, tem esse apelo gringo muito mais na questão visual e no conceito aplicado pela Hit Music do que nas canções propriamente ditas. A única canção do disco mais voltada pra essa linha, e que traz a participação do Ian Thomas, artista empresariado pela mãe dos filhos do Michael Jackson, é “Sabe me prender”, do Maurício Mello, do Raynner Sousa e do Latino (ambos da equipe da Efeitos), que teve uma parte adaptada para o inglês para encaixar a participação.

O conceito “In the Cities” se deve basicamente ao cenário. A gigantesca estrutura de LEDs imita uma cidade, como está óbvio pra todo mundo, hehe. A diferença é que todo o cenário interage com as canções e se modifica de acordo com a necessidade. Em uma canção que fala de bebida, por exemplo, dois prédios da cidade se transformam em copos e o prédio central vira uma garrafa que vai enchendo até o fim da música. Em uma canção mais romântica, o cenário vira uma grande vidraça que se quebra em determinado trecho da canção. E por aí vai.

Ao aplicar e apostar no conceito visual de forma tão ampla, até na nova logomarca, na estrutura do cenário e na participação especial escolhida, O Cristiano Araújo mostra total confiança no trabalho da Hit, que co-protagonizou a festa ao lado dele.  É bom lembrar que foi o Cristiano que, de certa forma, abriu as portas para a Hit Music no mercado sertanejo, naquele DVD gravado no Atlanta Music Hall, em Goiânia. Desde então, a empresa tem crescido exponencialmente, aplicando um conceito inovador: o da separação entre direção de arte e direção visual. Até então, a figura do diretor de vídeo sempre foi considerada a mais importante em um DVD, fora a do produtor musical, e o diretor de arte sempre o acompanhava, como um braço direito. A Hit Music busca trabalhar de uma forma diferente, invertendo os papéis. O diretor de vídeo e sua equipe acabam se tornando, com o perdão da palavra, acessórios para a realização do projeto. A concepção é toda do diretor de arte, no caso o Thiago, o homem das ideias da Hit, que ainda tem a figura do Fábio como o homem dos relacionamentos.

Mas é claro que mesmo num trabalho tão bem realizado, ainda há pontos que precisam de mais atenção. O show ainda teve muitas paradas e repetições, o que estendeu um pouco a gravação. Mas não foi apenas por conta da execução do trabalho da Hit. Outros pequenos problemas também atrapalharam um pouco o andamento da gravação, como o problema no ear phone do Cristiano, que não funcionou bem, deixando ele meio irritado em certos momentos.

Do repertório já conhecido do Cristiano , entraram apenas três canções: “Maus Bocados”, que abriu o DVD com o Cristiano cantando no topo de um dos prédios, “Cê que sabe” e “Caso indefinido”. Além destas e de um medley de hits de outros artistas tocados numa pegada mais acústica (o que é uma marca de todos os DVDs do Cristiano), todas as outras foram canções inéditas ou já gravadas por artistas menores, mas devidamente liberadas para o DVD. Os destaques do ótimo repertório, pelo menos numa primeira impressão, ficaram por conta da música “Hoje eu tô terrível”, da dupla Luiz Henrique & Léo, e de mais uma porrada romântica da Marília Mendonça (pelo amor de Deus, guardem esse nome) em parceria com o Juliano Tchula, Hugo Del Vecchio e o Frederico (da dupla João Neto & Frederico). O nome da música é “É com ela que eu estou”. A canção “Perdeu o Cara errado” também se destacou na gravação.

A parceria recém fechada com o Dudu Borges é outro dos elementos que mostram a intenção clara do Cristiano Araújo de se consolidar nacionalmente. Até o momento, ele não tinha largado tão definitivamente o osso da sua parceria com os produtores goianos. Este é o primeiro projeto feito totalmente fora de Goiânia, pelo produtor mais badalado do Brasil na atualidade, com um repertório que busca outras influências, e não apenas a goiana. E se a concepção visual, mesmo genial, passou a impressão de que o Cristiano estaria pulando uma importante etapa (a da consolidação nacional definitiva), a produção musical e o repertório é que cumprem o papel de deixá-lo mais “em casa”, por assim dizer, com uma pegada mais tradicional, sertaneja, com pouca influência pop. Um equilíbrio interessante, e bastante saudável e coerente.

Aliás, um outro aspecto bacana deste evento foi a importância dada a profissionais do segmento sertanejo até então “marginalizados”. Desta vez, não haviam radialistas. Dentre os convidados de praxe, apenas alguns contratantes, cuja presença em eventos dessa natureza são absolutamente justificáveis (afinal o cara precisa ver o show pra comprar). A diferença é que haviam muitos representantes de sites em ascensão, todos parceiros do Blognejo e meus amigos, diga-se de passagem, além de diversos compositores das músicas do DVD, muitos deles compositores iniciantes, o que já mostra um outro grande acerto na seleção do repertório (afinal quantos bons compositores não estão por aí, só esperando uma oportunidade?). Muitos deles viajaram de avião pela primeira vez, inclusive. Um dos momentos mais emocionantes do evento foi durante a música “Hoje eu tô terrível”, que eu acompanhei ao lado da dupla Luiz Henrique & Léo. Foi muito bacana ver a emoção estampada no rosto dos dois. Fora que a música foi uma das melhores da noite.

Todo o conjunto de elementos desta gravação faz deste disco um dos principais candidatos ao posto de maior e melhor disco do ano, mesmo com a disputa já tão acirrada. Fora que mostra, também, que 2014 tem sido um ano de mega projetos, ao contrário de muitas previsões lançadas no seu começo. Munhoz & Mariano, Henrique & Juliano, Jads & Jadson, Lucas Lucco, Henrique & Diego e agora Cristiano Araújo, todos eles com DVDs de grandes proporções, para mais de 15 mil pessoas (a estimativa é de que 25 mil pessoas tenham comparecido à gravação do “In the Cities”), muito mais do que no ano passado. Sem falar em outros discos como os novos de Thaeme & Thiago e João Neto & Frederico, que, mesmo para um público menor, também podem ser considerados mega produções. Mesmo com os gastos abusivos tendo cessado um pouco nos dois últimos anos e os projetos tenham passado a ser realizados com um planejamento muito mais eficaz (boa parte do custo desta gravação, por exemplo, já foi paga só com a venda de ingressos), este DVD comprova que a música sertaneja ainda tem muita lenha pra queimar. E profissionais como os da Hit Music mostram que ainda há um universo de possibilidades a ser explorado no segmento.

Abaixo, algumas fotos do evento, tiradas pelo Flanney Gonzáles.

Deixe seu Comentário

seu endereço de e-mail não será publicado.