Na Estrada – Lu & Robertinho gravam DVD, apresentam canções inéditas e trazem o Mash Up para uma escala mais competitiva

Na Estrada – Lu & Robertinho gravam DVD, apresentam canções inéditas e trazem o Mash Up para uma escala mais competitiva

Não me entendam mal: por melhor que seja a mistura de música sertaneja com hits internacionais (eu acho incrível), naquilo que ficou conhecido como Mash Up, a verdade é que esse subgênero sempre foi tratado de forma um tanto quanto marginalizada. Considerada música exclusiva das baladas, os artistas que se aventuraram por essa vertente quase nunca tiveram uma projeção mais ampla, o que na verdade é o objetivo de qualquer artista. Lu & Robertinho, entretanto, já haviam dado sinais de que havia, sim, espaço para o Mash Up em escala mais competitiva. Assinaram com a Sony para a distribuição digital do material da dupla e veiculação dos vídeos, que durante mais de dois anos foram veiculados semanalmente pela dupla, sem interrupções, na plataforma VEVO.

A parceria acabou funcionando e a Sony abraçou o projeto, desta vez não apenas no campo digital. O resultado desse novo momento da parceria foi visto na semana passada, quando a dupla gravou o primeiro DVD na Brook’s, em São Paulo, com a participação de nomes de peso como Michel Teló, Lucas Lucco e Breno & Caio César. Ali sim a dupla pôde promover a definitiva aceitação do Mash Up pelo “grande mercado” e mostrar um lado deles que, por mais que já tivesse sido explorado em algumas canções, ainda não tinha sido evidenciado de forma mais intensa: o das canções inéditas.

Com produção musical do Laércio da Costa e produção geral a cargo da D3 Produções Artísticas, escritório que gerencia a carreira da dupla, o disco foi dividido quase meio a meio em Mash Ups e canções inéditas, 3 destas com as participações mencionadas mais acima. Nos Mash Ups, algumas das músicas que mais repercutiram entre os vídeos que a dupla lançou nos últimos anos, incluindo hits como “Logo Eu”, “Maus Bocados” e até o Mash Up de “Pagode em Brasília” com “Take me Home, Country Roads”.

Entre as inéditas, além da boa “Metade de Amor”, que a dupla já tinha lançado há algumas semanas, duas românticas, que tiveram as participações de Breno & Caio César e Lucas Lucco, chamaram bastante a atenção. Principalmente a música gravada com Lucas Lucco, que provavelmente deve sair como canção de trabalho. Michel Teló, como não poderia deixar de ser, gravou com a dupla uma música mais agitada. A dupla resgatou pelo menos uma canção do seu próprio repertório, “Contagem Regressiva”, uma das primeiras próprias que eles haviam lançado, isso há mais de dois anos. A influência pop, que já estava escancarada nos mash ups, ficou bem marcante também nas músicas inéditas, que pendem mais pra esse lado.

Mal quistos por alguns compositores justamente pelas regravações e pela comercialização destas músicas através do Itunes (o que gerou alguns atritos junto a algumas editoras), a ascensão de Lu & Robertinho para um patamar mais competitivo do mercado, desta vez com o total apoio da Sony, deve causar uma mudança na forma com que os autores se relacionam com a dupla, caso ainda haja a intenção por parte dela de trabalhar o lado Mash Up por mais tempo. A meu ver, a tendência é que a dupla aos poucos vá deixando essa vertente de lado para se dedicar com cada vez mais afinco às canções inéditas, que sem dúvida foram o grande foco do DVD.

Sem falar que a Sony parece estar apostando alto nos dois. Aliás, a gravadora voltar a pegar gosto pelo mercado sertanejo de uns tempos pra cá, apostando alto em artistas como Lucas Lucco, Bruninho & Davi, Henrique & Diego, Mayara Prado, Gabi Luthai e, agora, Lu & Robertinho. E dos novos artistas no casting, Lu & Robertinho são os que saem com o projeto mais bem estruturado, ou seja, cujo trabalho de promoção deve sem dúvida ser aquele realizado de forma mais tranquila.

E sobre a vertente Mash Up, mesmo que Lu & Robertinho resolvam, dentro da hipótese que eu mencionei, deixar o estilo um pouco de lado com o passar do tempo, creio que o interesse da Sony na dupla ajude a promover o aparecimento de novos artistas dentro desse subgênero. Afinal, tudo o que dá certo tende a servir de inspiração para outros artistas.

Abaixo, algumas fotos da gravação.