Na Estrada – Lucas Reis & Thácio são celebrados pela classe sertaneja em novo DVD

Na Estrada – Lucas Reis & Thácio são celebrados pela classe sertaneja em novo DVD

É um pouco complicado escrever sobre artistas que você conhece literalmente desde crianças. Acompanho a carreira da dupla Lucas Reis & Thácio desde quando eram meros aprendizes de viola, membros de uma orquestra mirim de violeiros em Uberlândia. Vi os dois crescendo e se tornando músicos virtuosos, gravando viola e violão em tudo quanto é estúdio, não só daqui da cidade como também de outros lugares, antes mesmo de se tornarem oficialmente uma dupla.

Digo “complicado” porque não é fácil ser totalmente profissional e deixar o orgulho e admiração de lado por assistir a duas pessoas que você viu evoluírem musicalmente até tão alto nível sendo celebradas e abraçadas pela classe sertaneja de forma tão calorosa quanto se viu na gravação do segundo DVD da dupla, realizada na semana passada no Viola Mix, em Franca – SP. Em alguns momentos do show, minha garganta chegava a ficar embargada.

Sim, porque este segundo DVD foi, antes de mais nada, uma celebração. Mesmo sem estrutura, trabalhando apenas com as próprias pernas e fazendo as coisas de acordo com as próprias possibilidades, Lucas Reis & Thácio já conseguiram conquistar um respeito enorme junto a essa parcela de fãs da música sertaneja mais voltada ao lado bruto e à raiz. E também junto aos artistas que costumam admirar e/ou seguir essa vertente. Mesmo com tão pouca idade, viraram ídolos de artistas já consagrados. Prova disso é a invejável lista de participações especiais que a dupla conseguiu reunir neste DVD.

Jads & Jadson, Munhoz & Mariano e João Carreiro haviam sido previamente anunciados. Mas o DVD ainda trouxe uma quarta participação, surpresa: Rionegro & Solimões, que cantaram, assim como Munhoz & Mariano, uma música já presente no trabalho de Lucas Reis & Thácio. Jads & Jadson e João Carreiro cantaram músicas inéditas. Contrariando o esperado, no momento da participação de Jads & Jadson nenhuma das duas duplas tocou viola. Ao invés de uma moda de raiz ou outra com viola, cantaram juntos uma boa bachata inédita, do Marco carvalho e do Rodolfo Alessi. A mais comercial do disco, por sinal.

Como não podia deixar de ser, a participação do João, que foi deixada para o final, acabou sendo a mais celebrada da noite, com um pagode de viola bem extrovertido que ele compôs junto com o Lucas. E era evidente a satisfação de todas as participações convidadas em cantarem na ocasião. As palavras do Solimões e do Jads sobre a dupla e a alegria do João, contrastando com todo o seu recente histórico de depressão, encheram os olhos do público presente na casa.

Um outro aspecto da gravação que é preciso considerar é a preocupação da dupla em manter uma postura mais comercial, seja no palco ou no repertório, e tirar um pouco o excesso de “bruticidade” e de conservadorismo. Na verdade, essa postura já vem sendo observada a cada disco. O primeiro DVD, ainda com o nome Lucas Reis & Thácio Cândido, mostrou a dupla com uma postura de dupla de raiz. Os dois tocando viola e violão o tempo todo, como uma dupla tradicional, das antigas. O disco seguinte, que teve boa parte das músicas regravadas neste novo DVD, já trazia a dupla num formato mais comercial, com músicas mais extrovertidas e modernas como “Vem ni mim amorzim”, “Dorme meu bem” (regravada em Franca com a participação de Munhoz & Mariano) e outras, ainda que mantendo a viola em evidência.

O novo DVD traz a dupla para o mercado de forma definitiva. É fato que a viola ainda é o terceiro membro da dupla e sua participação ainda é indispensável, afinal estamos falando dos dois melhores violeiros do Brasil na atualidade, mas o repertório e a postura no palco já são de um projeto bem menos segmentado. Durante 90% da gravação apenas um dos dois tocou viola, com o outro solto no palco. Aliás, o Thácio demonstrou uma desenvoltura e tanto. Apenas no momento acústico foi que a dupla se sentou e tocou viola e violão, ou duas violas, ou, como não podia faltar, os dois em uma viola só.

Aliás, o momento com as duas violas, finalizado com os dois tocando em uma viola só, foi bastante simbólico. Lucas Reis & Thácio declamaram palavras em homenagem a três grandes violeiros que já se foram e que eles têm como inspiração e tocaram arranjos de cada um deles: Tião Carreiro, Bambico e Goiano. Ainda na mesma sessão, finalizaram o medley tocando os dois em uma viola só após um breve discurso contra os que duvidam que eles tocam daquele jeito (sim, tem gente que duvida).

Comprovando essa preocupação em se mostrarem mais modernos, eles chegaram a fazer no DVD algumas faixas sem que nenhum dos dois tocasse qualquer instrumento, com releituras de músicas românticas de duplas como Emílio & Eduardo e João Paulo & Daniel, no que talvez tenha sido o momento menos “de raiz” do show, mas nem por isso menos bruto.

Com produção musical do Otávio Morais e direção de vídeo a cargo do Grenner Alcântara, além de um belo cenário remetendo a um saloon, o DVD representou mesmo uma celebração e uma transição. O talento da dupla celebrado por artistas de renome e por um público exigente e a transição que eles precisavam para encarar a parte mais competitiva do mercado sertanejo. Quem acompanha a dupla sabe que eles relutaram bastante até assumirem essa postura mais comercial, o que é normal entre artistas e duplas que passaram a vida circulando no meio de grandes nomes do passado e do circuito de festivais e encontros de violeiros ao redor do Brasil. Mas um talento como o desses dois merece ser conhecido por um público mais amplo. É isso o que a viola caipira precisa: de gente de talento que levante a sua bandeira para quem ainda não a conhece muito bem.

Abaixo, fotos da gravação,