Post de Segunda – Coitado do Marrone

Coitado do Marrone. Durante os últimos anos, tudo o que vemos nas apresentações em TV, DVDs e CDs da dupla Bruno & Marrone é uma sucessão de sutis humilhações por parte do Bruno e de todos os que assistem. Virou mania dizer: aaahhhh, o Marrone não canta nada, quem canta é o Bruno.

Pois bem. O post de segunda (na quarta!!!???!!!) de hoje vem para tentar quebrar esse paradigma. Eu penso o contrário do que tooooodo mundo pensa. O Marrone canta, sim senhor!!! Ele sempre cantou. Aliás, se ele não cantasse o Leonardo provavelmente nem o teria apresentado ao Bruno e a dupla nem teria iniciado sua existência.

O problema do Marrone, na minha opinião, não é a falta de talento, afinal. A palavra é SUBMISSÃO. Ou acomodação, permissividade, chamem como quiser, mas é esse o principal defeito do Marrone. O fato de ele ficar em segundo plano, o que é natural em se tratando de segunda voz, permitiu que o Bruno fosse cada vez mais assumindo o caráter de líder da dupla, de homem de frente. O Bruno é o cara que canta, compõe, impõe sua interpretação e tudo mais. Então, na medida em que a dupla ia ficando mais famosa, o Bruno ia tomando mais a frente das coisas e o Marrone ia ficando cada vez mais jogado pra escanteio. E ele se acomodou com isso, ao invés de bater o pé e dizer: “quero aparecer também”. Ao contrário. Na medida em que o Bruno foi assumindo a frente, ele fez questão de deixar o Marrone cada vez mais apagado.

Eis alguns bons exemplos da segunda voz do Marrone. São canções que selecionei com base na cronologia da dupla, e que provam que o Marrone sabe sim cantar em dueto. Pra ajudar a compreender melhor, seguem dois players pra cada música. Um com a música completa e outro apenas com um trecho-chave onde EU entro fazendo a segunda voz junto com a música, porém num volume mais alto, para facilitar a compreensão de vocês sobre a linha de segunda voz seguida pelo Marrone. Já aviso que apenas reproduzi o estilo de segunda voz utilizado pelo Marrone e que a qualidade do áudio não está lá essas coisas.

A primeira canção, do segundo disco, mostra o Marrone desenhando a segunda voz no refrão. A canção é “Esqueci”. Notem como ele modula a segunda voz no trecho “Eu até já me esqueci a cor dos seus olhos castanhos…”. No segundo player, apenas o refrão, com a segunda voz em evidência. Notem que nessa época a voz do Marrone era mais nítida, mais evidente.

Música Completa:


Trecho com segunda voz em evidência:


A segunda canção, “Passou da Conta”, apesar de ainda trazer a segunda voz num volume razoável, já mostra os primeiros sinais da queda no volume da mesma com relação à primeira. Ainda assim, é fácil percebê-la.
Música completa:

Trecho com segunda voz em evidência:

A terceira canção, “Coração de Pedra”, na versão do disco Ao Vivo, já é da época em que a segunda voz do Marrone era deixada quase de lado. Mesmo assim, dá pra notar no segundo player que o Marrone procura fazer alguns desenhos com a voz, encerrando com uma “terça”.

Música Completa:

Trecho com segunda voz em evidência:

A quarta canção, “Consciência Pesada”, do último disco, representa a fase em que a voz do Marrone ficou mais apagada. O disco Acústico II é praticamente um disco solo, já que a voz do Marrone é quaaase imperceptível.
Música Completa:

Trecho com segunda voz em evidência:

A última canção, do novo disco, “Sou Eu”, regravação de um sucesso de Chrystian & Ralf, parece até um recomeço para o Marrone. A voz dele está totalmente em evidência, o que é ótimo. Ouçam:

Música Completa:


Trecho som segunda voz em evidência:

Bem, é isso. Estou preparando uma estrutura um pouco melhor para os próximos posts de segunda. Pra vocês terem uma idéia, as gravações de hoje foram feitas com o microfone da webcam, e não sofreram as devidas correções (como afinação, hehehe).

Se tudo der certo, o próximo post de segunda será em vídeo. SE TUDO DER CERTO.

Abraços.

Marrone, sou seu fã!!!