Precursor dos grandes festivais sertanejos, Caldas Country completa 10 anos

Precursor dos grandes festivais sertanejos, Caldas Country completa 10 anos

Como todos sabem, apesar da eterna birrinha e do espernear dos conservadores, a música sertaneja é feita de ciclos, geralmente compreendidos em períodos de 10 ou 15 anos. E não sei se já passou pela cabeça de vocês, mas 2005 pode ser considerado o ano oficial do começo da dominação “universitária”, que perdura até hoje, mas agora com mais abrangência.

Se nos anos anteriores nós já tínhamos acompanhado o começo do movimento através de discos amadores de artistas como João Bosco & Vinícius e César Menotti & Fabiano, foi em 2005 que vimos a primeira dupla deste subgênero em uma grande gravadora (com o DVD “Palavras de Amor” dos Menotti saindo pela Universal), o começo da carreira da dupla mais badalada dessa geração (Jorge & Mateus) e o início da era dos grandes festivais sertanejos. Sim, afinal não resta dúvidas que foi o Caldas Country o grande festival a dar o start definitivo nesta nova forma de se trabalhar a música sertaneja. E ele completa, neste fim de semana, 10 anos de existência.

É seguro dizer que, sem o Caldas Country, provavelmente a realidade da música sertaneja fosse outra. Inúmeros artistas viram suas carreiras decolarem após a participação neste festival (Jorge & Mateus são o melhor exemplo), o que consagrou a festa como uma das maiores vitrines da música sertaneja na atualidade, desbancando festas tradicionais como a de Barretos, que com o tempo perdeu-se na cobrança de taxas dos artistas menores ao invés de focar na descoberta espontânea de grandes nomes, como tem sido com o Caldas Country desde o seu surgimento. Aliás, uma das grandes sacadas do festival sempre foi abrir espaço para artistas em ascensão, que geralmente vêem seu nome explodir após o Caldas.

A ideia de levar um grande festival a uma cidade de enorme apelo turístico provou-se genial. Caldas Novas é onde fica situada a maior estância hidrotermal do mundo, com a temperatura das águas do balneário variando entre 30 e 57 graus. Mais de um milhão de pessoas visitam a cidade todos os anos. Um número impressionante, já que a cidade possui apenas 70 mil habitantes. Aliando um grande festival sertanejo a todas as maravilhas proporcionadas pelos clubes da região, o Caldas Country acaba movimentando a economia da cidade de uma forma que nenhum outro evento movimenta.

Se o circuito universitário foi o responsável pelo começo deste movimento sertanejo contemporâneo, o Caldas Country possibilitou também que fosse estudada a aceitação deste novo subgênero fora daquele circuito. Ao fazer com que os jovens migrassem das repúblicas e festas universitárias de diversas cidades do Brasil para as ruas da cidade turística, o Caldas ajudou a mostrar a força da música sertaneja junto ao público jovem em geral, o que representou a consolidação de uma mudança iniciada na primeira parte da década de 2000.

O sucesso do Caldas junto ao público jovem fora do circuito universitário proporcionou consequentemente o surgimento e/ou fortalecimento de outros festivais da mesma natureza. Atualmente, os festivais são talvez a forma mais maciça de propagação do gênero. E sem o “teste” do Caldas Country nos primeiros anos dessa nova realidade sertaneja, talvez não veríamos o surgimento de marcas como Villa Mix, Festeja e tantos outros que hoje fazem a alegria do público ao unir diversos shows em um mesmo dia ou em apenas dois dias diferentes.

A 10ª edição do festival, comemorando os 10 anos do Caldas, acontece no próximo fim de semana, com uma grade que mostra muito bem essa preocupação com o ecletismo e a variedade que existe dentro da música sertaneja. Além de trazer os maiores nomes da história da festa, como Jorge & Mateus (os únicos a participarem de todas as edições), Gusttavo Lima e Luan Santana, o Caldas continua abrindo espaço para nomes em franca ascensão, como Bruno & Barretto, Jefferson Morais, Kleo Dibah & Rafael e Gabriel Gava.

O festival não deixa de trazer também nomes que fazem parte da atual realidade sertaneja nas grandes festas pelo Brasil afora, como Matheus & Kauan e Jads & Jadson. E além da sempre tradicional presença de grandes nomes do axé no trio elétrico (Claudia Leitte e Tomate), o Caldas se mostra atento ao crescimento do forró nordestino junto ao público das regiões mais ao sul e traz para a grade deste ano os dois maiores fenômenos do gênero: Aviões do Forró e Wesley Safadão. E como não poderia deixar de ser, a festa deste ano também conta com a presença de medalhões como Chitãozinho & Xororó e Edson & Hudson. Tudo isso sempre com a apresentação do Cuiabano Lima e vários DJs de renome internacional nos diversos espaços da festa, bem como outros nomes bacanas nos intervalos.

Mais detalhes da festa podem ser conferidos através do site www.caldascountryshow.com.br. Nos próximos dias, traremos por aqui detalhes de como foi a festa deste ano e possíveis novidades sobre as próximas edições. Fiquem atentos.