REVIEW – Cristiano Araújo – In the Cities

Entre todos os projetos lançados em 2014, este novo DVD do cantor Cristiano Araújo é provavelmente o que contou com o melhor planejamento, ou pelo menos com o mais bem sucedido, já que além de ter trazido o mais criativo e interessante conceito cenográfico do ano, o lançamento aconteceu menos de dois meses após a gravação, o que mostra não só a competência com a qual esse projeto foi conduzido, mas a confiança que todos os envolvidos, inclusive gravadora, depositaram nele. O resultado é um DVD muitíssimo bem amarrado que, por sorte, foi lançado antes que o assunto “Cristiano Araújo e Audiomix” se tornasse o foco de todas as conversas, o que com certeza faria com que ele perdesse completamente a força.

É sem dúvida o melhor trabalho da Hit Music. Apesar do título bobinho, “In The Cities”, o conceito em si é incrível. Painéis de LED em forma de uma grande cidade, que vai sendo construída no começo do show, com operários dando as últimas marteladas em sincronia com um cronômetro, e prédios cujas janelas recebem um conteúdo visual diferente a cada música, sempre conectado ao mesmo tempo ao tema do DVD e ao tema de cada canção.

Um outro aspecto interessantíssimo foi a intensa utilização de fogos de artifício durante todo o show do DVD, sempre em sincronia com as músicas nas quais eram utilizados, o que no vídeo ficou fantástico. O palco em formato triangular permitiu alguns takes de câmera bem bacanas a partir da ponta do triângulo mais distante da parte de trás do palco, pegando boa parte do palco em perspectiva, com o Cristiano em destaque à frente. Mesmo em toda a sua grandiosidade, o palco tem um efeito no vídeo incrível nos takes fechados, mas obviamente toda a sua perfeição é melhor vista nos planos abertos.

Assim como alguns outros projetos lançados no decorrer desse ano, o DVD “In the cities” tem sofrido com uma rejeição prematura por parte de alguns profissionais do meio. Na verdade, trata-se de uma situação cada vez mais comum e cada vez mais perigosa na qual alguma pessoa com certo poder de persuasão diz que um disco não ficou bom logo depois que ele foi lançado e essa ideia é comprada por outras pessoas, que assumem inconscientemente o papel de transmissores da mesma até que ela pareça uma ideia verdadeira. A velha frase “fulano errou” é compreensível quando dita sobre um disco trabalhado sem sucesso durante toda uma temporada. Quando é dita sobre um disco que mal foi lançado, entretanto, a coisa soa perigosa.

Na verdade, quero me aprofundar um pouco mais sobre esse assunto em breve aqui no blog. Apenas mencionei isso porque este disco parece ser mais uma vítima injustiçada desta cada vez mais comum situação: a conclusão prematura de que um determinado disco não deu certo. Será que o timing está se tornando um vilão tão sanguinário assim e seu tempo de atuação tem sido assim tão curto? Convenhamos, apesar de algumas poucas músicas parecerem aquém do tamanho do projeto, a maior parte do repertório é formada por músicas de fato muito boas, como “Blackout”, “Hoje eu tô terrível”, “É com ela que eu estou”, “Perdeu o cara errado”, “Paraíso Particular”, “Sangrando sem corte”, “Férias de Julho” e “Não te largo mais”, todas com totais condições de serem trabalhadas. Pelo menos um bom ano de trabalho totalmente garantido, essa é a verdade.

A autonomia dada à Hit Music, que com certeza foi um dos aspectos que tornou possível que esse fosse o melhor projeto deles até então, rendeu pelo menos um momento estranho e que pouco acrescentou ao DVD: a participação do Ian Thomas, um cantor belga que até então era um completo desconhecido por aqui, tendo como principal ponto a seu favor o fato de ter como empresária a enfermeira que calhou de ser mãe dos filhos do Michael Jackson.

É verdade também que a simplicidade do Cristiano em alguns momentos parece destoar do caráter grandioso e tecnológico do projeto. Ele é, afinal, um cantor do povão, com grande essência sertaneja, e o conceito cenográfico do disco remete muito mais a um artista com uma pegada pop. Mas ele acaba contornando isso muito bem na interpretação das músicas e no sempre elogiado trato com o público, numa combinação que faz dele o artista sertanejo mais completo da atualidade na opinião de muita gente.

A parceria com o produtor Dudu Borges, iniciada com a música “Maus Bocados” e oficializada com este DVD, tem tudo pra ser duradoura. Por conta destas cobranças exageradas por uma perfeição que, convenhamos, ainda não teve sequer tempo de ser medida, afinal o disco mal começou a ser trabalhado, um possível próximo disco em parceria deve vir acompanhado de uma imensa vontade de calar as eventuais críticas. Ainda mais agora que o projeto “Cristiano” deixou de contar com as opiniões do Raynner e do Latino, que ajudavam a definir o repertório desde o começo da carreira, mas saíram do projeto na última semana. No último sábado, a Audiomix oficializou a parceria como novo escritório responsável pela carreira do Cristiano.

Há que se aguardar, claro, a forma com que o disco vai ser trabalhada agora que o Cristiano Araújo faz parte da Audiomix. É um disco com muito potencial a ser explorado. Não seria nada inteligente, principalmente do ponto de vista financeiro, desperdiçar um projeto como esse apenas para recomeçar em casa nova com tudo novo. E confesso que vai ser bem interessante esperar este disco ser trabalhado em toda a sua potencialidade para que a coisa da rejeição prematura possa ser derrubada e desacreditada. Seria um balde de água fria e um golpe de misericórdia dos trabalhos que já sofreram com esse tipo de problema

Nota: 9,0