REVIEW – Leonardo – 30 anos

REVIEW – Leonardo – 30 anos

Não sei se somos nós que envelhecemos muito rápido ou se simplesmente não percebemos a altíssima velocidade do passar dos anos, mas o fato é que, vejam só, o cantor Leonardo completou 30 anos de carreira. Isso significa muito mais para quem nasceu na década de 80 e já tinha algum discernimento quando a explosão sertaneja dos anos 90 aconteceu, na primeira parte da década. Desde então, Leonardo sempre foi um dos personagens mais marcantes. Até hoje é o único artista sertanejo que pode se gabar de ter um álbum na lista dos 10 discos mais vendidos de todos os tempos no Brasil (o disco “O sonhador”, o último com o Leandro). Leandro & Leonardo foram praticamente a primeira dupla a esgotar ingressos no Canecão, antigo reduto da música carioca.

Enfim, não dá pra falar da história recente da música sertaneja sem colocar Leonardo como um dos protagonistas. Um DVD comemorativo aos 30 anos de carreira, portanto, tem a obrigação de fazer reverência a toda essa história. Este novo projeto do Leonardo faz isso, com certeza. Ele traz a maior quantidade possível de hits da carreira do cantor, tanto da fase em dupla quanto na fase solo, agrupados em medleys justamente para que mais músicas pudessem ser incluídas no disco. Mas ao invés de promover isso de uma forma nostálgica, a ideia do Leonardo para este projeto parece ter sido a de trazer seu trabalho para uma realidade mais contemporânea.

A primeira evidência dessa vontade de trazer seu trabalho a uma nova realidade reside nos arranjos das músicas. A maioria dos arranjos foi radicalmente modificada de suas versões originais, priorizando agora um pouco mais de virtuosismo. Alguns arranjos mais marcantes como “O sonhador” e “Não aprendi dizer adeus”, entretanto, foram preservados, até porque, no caso destas músicas, os arranjos são praticamente os elementos mais importantes. Marcaram época, ou seja, modificá-los seria quase um insulto.

Outra evidência desta nova realidade são as participações especiais deste projeto. Mesmo sendo um DVD comemorativo, o Leonardo optou por convidar basicamente artistas da nova geração sertaneja (Gusttavo Lima, Jorge & Mateus, Cristiano Araújo, Eduardo Costa, Zé Ricardo & Thiago), deixando de fora nomes que fizeram parte da sua história na música, como os “Amigos” Zezé di Camargo & Luciano e Chitãozinho & Xororó, ou que eram do seu convívio íntimo, como Chico Rey & Paraná, Di Paullo & Paulino, que inclusive são do seu escritório, entre outros.

Se levarmos em conta que Chitãozinho & Xororó também não chamaram ninguém no DVD que comemorava 30 anos de carreira, mas depois chamaram quase todo mundo para o projeto que comemorava 40 anos, gravando 3 projetos diferentes pra poder agrupar todos os artistas, pode ser que Leonardo também tenha tido esse mesmo pensamento. Acontece que frequentemente ele vem com aquele papo de que pensa em parar de cantar em algum tempo. E se não der tempo de chegar aos 40 anos de carreira? Se ele parar antes? Será que ainda veremos os grandes artistas da música sertaneja prestando homenagens à carreira do Leonardo em um DVD? Para quem não se lembra, esse projeto já aconteceu em forma de CD no projeto “Tributo a Leandro”, lançado após a morte do eterno parceiro do Leonardo, com versões fantásticas das músicas da dupla nas vozes de alguns dos principais nomes da música sertaneja, e em um especial da Rede Globo.

A única dupla veterana a participar deste novo DVD foi Bruno & Marrone, cantando a ótima “A Rotina”. O Leonardo também levou ao palco um de seus filhos, o Zé Felipe, que já demonstra uma grande desenvoltura com o microfone. Não fosse aquele fatídico acidente de algum tempo atrás, provavelmente o Pedro Leonardo também participaria, quem sabe. Talvez a participação dele só não ocorreu porque as sequelas do acidente ainda eram recentes à época da gravação.

A Talismã já tinha utilizado a tática de reunir o máximo de músicas possíveis em diversos medleys no DVD do Trio do Brasil. Agora, neste do Leonardo, a ideia foi copiada, o que possibilitou a inclusão de diversas músicas marcantes da carreira do Leonardo, evitando que fosse, portanto, cometida alguma injustiça. Mesmo assim, os mais observadores e saudosistas ainda notarão algumas ausências, como “Contradições”, o primeiro sucesso, “O que eu sinto é amor”, “Dor de amor não tem jeito”, “Você é desejo e eu sou paixão”, “Doce Mistério”, “Cai na Real”, “Amores são coisas da vida”, “Bobo”, “Anarriê”, “Bate Coração”, “Quem é”, relembrada e novamente trabalhada no DVD “Esse alguém sou eu”, excelente, “Jogo de Orgulho”, “Só fazendo amor”, “Vem fazer amor comigo”, que ele gravou com o Léo Magalhães no seu mais recente DVD, etc, etc, etc. Como dá pra perceber, um projeto como esse renderia facilmente um disco duplo. Mesmo assim, a seleção de repertório foi bastante justa, com releituras fantásticas de clássicos como “A Rotina”, “Não olhe assim”, “Esta noite foi maravilhosa”, “Pra nunca dizer adeus”, “Gostoso sentimento” e outras igualmente marcantes e nem sempre relembradas com a devida reverência.

Uma terceira evidência da vontade de se adequar o projeto a uma nova realidade é perceptível apenas após uma análise um pouco mais aprofundada. Trata-se de algo um pouco mais sutil do que as duas que eu apontei mais acima. Se em DVDs anteriores o Leonardo parecia mais à vontade, como se apenas realizasse mais um show, neste ele pareceu mais preocupado. Tanto que permaneceu quase todo o tempo na sua marcação no centro do palco principal. Movimentou-se muito pouco durante o DVD. Talvez isso seja reflexo da vontade de fazer as coisas de uma forma mais “correta”.

Até a voz dele neste disco se tornou motivo de debates entre alguns fãs, como eu vi nas redes sociais em algumas ocasiões. É que a voz do Leonardo muda muito do estúdio para o palco. Isso rendia assunto até nas imitações do Shaolin. No estúdio, o Leonardo canta de forma mais contida, quase sussurrando. Ao vivo, ele projeta mais a voz e ela parece sair até mais grave do que o normal. No DVD “Esse alguém sou eu” dá pra perceber isso de forma bem clara. No “30 anos”, entretanto, sua voz está muito mais próxima à voz do estúdio do que à voz do ao vivo. Se levarmos em conta, no entanto, que para este DVD o Leonardo ensaiou e se preparou muito mais do que ele costuma se preparar em outros projetos, isso até que faz sentido. Mas mesmo que a voz tenha sido gravada posteriormente em estúdio e inserida no áudio do DVD como alegam alguns dos fãs que eu mencionei no início do parágrafo, a edição de vídeo ficou impecável, porque isso passa totalmente despercebido. aos olhos, sendo mais fácil de se perceber apenas no áudio.

Um dos momentos mais marcantes do DVD é a homenagem ao irmão Leandro, com a inclusão da emocionante interpretação da música “Catedral” pelo próprio, número este que era realizado nos shows da dupla e que depois se tornou uma das músicas símbolo de sua ida para um lugar melhor, junto com “Um sonhador” e “Mano”, composição do Chitãozinho e do Xororó gravada no primeiro disco solo do Leonardo e também relembrada neste DVD.

No fim das contas, todas estas observações acerca do disco se referem mais a detalhes externos. Afinal, o repertório, mesmo com as músicas mencionadas de fora, faz jus à história do Leonardo. A produção musical, assinada pelo César Augusto, que não à tôa produziu quase todos os discos da carreira do Leonardo, e pelo Leandro Porto, respeita toda a importância histórica destas canções e ainda consegue deixá-las com um ar mais moderno. A direção do show, mesmo com o Leonardo mais contido do que estamos acostumados a ver, também fez muito bem sua parte. Os cenários são maravilhosos. Não à toa, a Hit Music, responsável pela direção geral do projeto, segue se mostrando a melhor empresa do ramo na atualidade, o que fica mais fácil de se perceber graças as ótimas imagens da equipe do Fernando Trevisan, o “Catatau”.

Mesmo assim, fica a sensação de que esse projeto precisa de uma continuação. Como eu disse mais acima, mais músicas do Leonardo precisam ser relembradas, mais grandes artistas precisam emprestar suas vozes para homenagear a carreira deste grande artista. Resta saber se o Leonardo está só blefando quando diz que pretende parar de cantar em breve. Tomara que esteja. E que venha logo o DVD em comemoração aos 40 anos.

Nota: 9,0