REVIEW – Munhoz & Mariano – Ao Vivo em Campo Grande Vol. II

REVIEW – Munhoz & Mariano – Ao Vivo em Campo Grande Vol. II

Não sei se vocês notaram, mas este ano a quantidade de DVDs do tipo “espetáculo”, para mais de 20 mil pessoas, em espaço aberto, foram absoluta minoria entre os lançamentos. A maioria dos DVDs lançados este ano foram gravados em eventos um pouco menos arriscados, geralmente em casas de shows para no máximo 5 mil pessoas em média. Isso incluindo alguns dos maiores artistas do segmento sertanejo. Mais curioso ainda é perceber que os DVDs desse tipo, grandiosos, funcionaram muito bem para quem arriscou gravar assim. Munhoz & Mariano com certeza encabeçam essa curtíssima lista de DVDs “espetáculo” lançados no decorrer do ano de 2012. E matam a pau, diga-se de passagem.

A princípio, este DVD consagra o nome do Fernando Trevisan (o Catatau) como o melhor diretor de vídeo em DVDs sertanejos da atualidade. Até algum tempo atrás, eu costumava considerar a Joana Mazzuchelli a dona deste título, mas em 2012 ela não dirigiu quase nada dentro do segmento sertanejo, e um dos poucos ou talvez o único que ela dirigiu (o novo DVD de César Menotti & Fabiano) ainda não foi lançado. O Catatau, entretanto, vem pouco a pouco se superando. Ao invés de se repetir, como faz a maioria dos diretores de vídeo em atividade, ele tenta trazer elementos diferentes em cada nova produção. Seja uma câmera diferente, como a Red utilizada no “Sertanejo Play”, ou pequenos elementos no cenário que não são encontrados em outros DVDs que ele assina. Fora que ele se tornou um especialista em DVDs com mega-estrutura.

O Catatau assinou belíssimos trabalhos de direção visual de DVDs de grande porte, como o “Coração Apaixonou” da dupla João Bosco & Vinícius e o “Ao Vivo em Palmas” da dupla João Neto & Frederico, sempre com um diferencial. No primeiro exemplo citado, uma mega passarela em forma de coração. No segundo, um palco com maior foco no lado esquerdo, deixando uma impressão meio “Picasso” no vídeo. Já para o DVD “Munhoz & Mariano – Ao Vivo em Campo Grande Vol. II”, o palco sem teto, que não é exclusividade deste DVD em 2012, ganhou muito mais destaque com a utilização sem dó da iluminação disponível. É luz que não acaba mais. E a finalização do vídeo ganhou um aspecto muito mais peculiar, dando ao disco uma cara de DVD gringo. Não sei que tipo de efeito ele aplicou na edição, mas o resultado ficou sensacional.

Que eu me lembre, também, o Catatau é o único que tem utilizado uma outra novidade aparentemente simples mas que ninguém mais pensou: luzes por baixo do palco, com vidro no lugar da madeira em determinados pontos, formando desenhos. Ele usou esta ideia neste disco e no DVD da dupla Henrique & Diego, que ainda não foi lançado. A luz acaba sendo aproveitada de uma forma muito mais interessante.

É importante apontar também o cenário montado de forma semi-circular com o palco à frente, os dois separados apenas por uma passarela, por onde entravam as participações. O público acabou ficando posicionado praticamente em volta de todo o palco, isso sem que a parte traseira do cenário fosse perdida. A troca de roupas, que não se restringiu apenas à dupla, mas também à banda que gravou o DVD. Banda essa, aliás, que participa de forma dinâmica do disco, com instrumentos plugados em transmissores sem fio. Uma série de ideias simples mas geniais e em sua maioria pioneiras. Em resumo, o DVD da dupla Munhoz & Mariano é o melhor do ano em termos visuais, sem nenhum resquício de dúvida.

Agora analisemos os outros aspectos deste disco. Porque não adianta nada ter um DVD fantástico em termos visuais mas que deixa a desejar em termos musicais. Acontece, meus amigos, que este disco não deixa. É claro que muita gente vai encher o meu saco por eu elogiar um repertório que traz músicas tããããããão odioooosas, absuuuuurdas e terrííííííveis como a horrorooooooooosa “Camaro Amarelo”. O fato é que a concepção que eu tenho deste tipo de música é que existem artistas que podem cantá-las e existem artistas que não podem.

Se fosse a dupla Bruno & Marrone, por exemplo, saindo da sua zona de conforto para tentar se embrenhar no exageradamente comercial, aí sim eu criticaria. Agora, Munhoz & Mariano se propõem ao comercial desde o começo da carreira. Não é algo forçado. É o estilo dos caras. Gostar ou não do tipo de música que eles cantam é algo subjetivo. O que não se pode é fechar os olhos para o fato de que isso funciona com eles, e muitíssimo bem.

Além disso, o disco não traz apenas o “Camaro Amarelo” e seus 40 milhões de visualizações no Youtube. É uma série de músicas que funcionam tão bem quanto ela quando cantadas por Munhoz & Mariano. Entre as de “farra” figuram as ótimas “Balada Louca”, “Casa Amarela”, “Grita, Amor”. Nas baladas universitárias, as ótimas “Vai embora, coração”, “Nuvem Negra”, “Sexto Sentido”. E entre as diferentes e menos “comerciais”, a fantástica “A Bela e o fera”. Mérito também, é claro, para os excelentes arranjos do Eduardo Pepato.

Este DVD é o que melhor funciona como espetáculo, como mega show, neste ano de 2012. Tirando o DVD gravado em Palmas pela dupla João Neto & Frederico e o do Victor & Leo em Floripa, é praticamente o único que segue essa linha, aliás. Talvez por isso esteja funcionando tão bem. E mesmo com os sei lá quantos cavalos de potência do Camaro Amarelo puxando o DVD, o disco inteiro tem muita borracha de pneu pra queimar ainda. Um trabalho comercial, sim, mas um puta trabalho comercial. Quem quiser reclamar, que reclame.

Nota: 10