Texto do Leitor – O Mercado Artístico Sertanejo

O texto de hoje foi escrito pelo DJ Dan Rocha, diretor artístico de uma das rádios sertanejas mais importantes do país, a Paranaíba FM. Ele não escreveu o texto para o Blognejo, mas sim para um jornal. Por acaso, eu vi que o Timpim reproduziu o texto lá no cabaré. Mas como eu sei que o DJ Dan Rocha é leitor do Blognejo, achei plausível incluir o texto nesta seção do nosso famigerado blog. Me senti na obrigação de copiar este texto aqui, afinal fala sem rodeios tudo o que um artista novato precisa saber e como o radialista e profissional que tem que divulgar diariamente a música sertaneja lida com tantos problemas que o segmento vem apresentando. Leiam abaixo e mudem suas perspectivas…
Cada dia me impressiona a quantidade de cd´s de novas duplas sertanejas que aparecem na minha mesa, alguns inexplicavelmente inclusive. Como trabalho diretamente com esse mercado, a impressão que tenho é que a qualquer momento até meu dentista vai me deixar com a boca aberta na cadeira, formar uma dupla e sair cantando.
Claro que gente talentosa tem muito por aí e hoje a grande maioria dos materiais que chegam até minha mão são de qualidade, até pelo receio que o artista tem de enviar um material que ainda não está tão bom pra uma emissora grande. Mas o fato é que o mercado não tem na realidade “espaço” para conseguir emplacar tantos artistas novos. A internet e a facilitação para se gravar um cd , colaboraram muito para que sonhadores da fama pudessem literalmente “colocar a mão na massa” e ir em busca do tão famigerado sucesso.
É bonito, afinal todos tem direito de ter um pedaço do sol certo? Mas também é preocupante! Pois foi se o tempo que ter uma gravadora por trás do artista servia de alguma coisa, foi se o tempo que tocar no Faustão num domingo era garantia de explosão na segunda feira. Foi se o tempo que pra tocar em uma radio usava-se a clássica estratégia “dois filhos de Francisco” com amigos e família ligando na radio pra pedir a musica e isso gerar algum resultado.
Hoje além do talento, tem de ter um investidor “de peso” pois como eu disse, gravadoras já não fazem a diferença, os canais de divulgação evoluíram para internet e prensagem de cd´s para distribuição gratuita e acordos caros com emissoras de radio e tv. E pra isso é necessário rios de dinheiro, não só por que entrar no mercado é caro mas sim pelo tamanho desse mercado. O Brasil é muito grande com diversidades culturais muito variadas, enquanto em uma região o forró predomina, na outra é o pagode quem fala alto. E nessas, pro artista entrar expressivamente em um território abrangente, requer uma estratégia muito bem feita de mapeamento e investimento. Cada centavo gasto é um grande risco de ser pedido se não for investido com cautela e coerência.
Nessa vejo pais de família vendendo a casa, o carro e as vezes até o que não tem para apostar no sucesso do filho, da filha, do amigo, “Ah mais ele canta igual ao Jorge e Mateus então vai dar certo” ou o famoso “Essa dupla tem o estilo do Victor e Leo”, frases típicas do divulgador do produto que tem a falsa esperança de que está seguindo em um caminho que deu certo porem que já foi trilhado e muitas vezes o mato cresce de novo, aí meu amigo, você tem que fazer uma nova trilha e requer trabalho, investimento e sacrifício.
Observando o mercado a alguns anos, gostaria de deixar umas dicas pra quem está começando agora a trilhar esse tão pedregoso caminho das estrelas…
01 ““ Voce canta bem? Seus amigos te elogiam muito no Karaokê?
-Desculpe mas isso não é o suficiente para dizer que você tem o preparo para ser artista. Além de todas as dificuldades de mercado que citei acima, ser artista requer disciplina, objetividade, paciência, personalidade, carisma, brilho e diferencial.
02-Tenho 100 mil reais pra investir numa dupla que achei ótima, consigo fazer a carreira deles decolar com isso?
-No Maximo de um aeroporto pro outro… Quando falo em investimento pesado, é pesado mesmo! A media mínima que se gasta para que você consiga fazer caminhar um produto em duas ou três regiões é de meio milhão de reais por musica. Fique preparado para gastar um milhão se só você achar a dupla boa.
03-Mas eles cantam igualzinho o Victor e Leo, será que isso não ajuda?
-Nem um pouco, como eu disse ter diferencial é essencial. Victor e Leo, Jorge e Mateus, Zezé di Camargo e Luciano, e mais recentemente Luan Santana, cada um no seu estilo foram abraçados pelo Brasil. Copiar o estilo de alguém é seguir numa tendência que jamais irá pra lugar nenhum. Identidade própria é fundamental pra se desenvolver um trabalho firme.
04-Essa musica ta bem nessa linha universitária que todo mundo faz…
-Cuidado! Tudo que todo mundo faz, como eu disse , tem vida curta e poucos se destacam. Tenho observado uma enorme dificuldade de artistas conseguirem emplacar musicas com o tal “violãozinho acelerado”. É legal, é bacana, fazem sucesso com esse estilo…Mas achar o próprio estilo e inovar são regras básicas pra se atingir o sucesso.
05-Vou prensar 50 mil cd´s e distribuir….
-Até essa estratégia que já deu tão certo com alguns artistas está se defasando. Esparramar cd´s “na praça” não é garantia que as pessoas irão ouvir seu material. Distribua com estratégia e coerência. Chame a atenção das pessoas, faça com que elas procurem seu cd mesmo que seja pra ganha lo e não compra lo.
Distribuí-los através de rádios e nos próprios shows do artista são sempre mais favoráveis que deixar na banca do pastel.
06-E se ainda sim eu não fizer sucesso?
-Como eu disse nada disso é garantia de que você vai atingir o sucesso… Então se nada disso der certo, volte pra cadeira de dentista e termine de atender o paciente.