TOP FIVE – “Cheias de Charme” e o mercado sertanejo

TOP FIVE – “Cheias de Charme” e o mercado sertanejo

Poucas vezes eu vi numa novela com personagens pertencentes ao ramo musical tantas semelhanças com a realidade quanto eu ando percebendo na novela das sete, “Cheias de Charme”. Por mais que a novela seja voltada para o humor, é interessante perceber a sutileza dos personagens e das características que remetem ao mercado sertanejo. Em certos momentos, dá até pra pensar que os autores da novela fizeram algum tipo de laboratório. Tanto que resolvi listar hoje algumas destas semelhanças, que talvez sirvam para que algumas pessoas vejam a novela com outros olhos e possam, a partir de então, enxergar o mercado de uma forma diferente.

A VIRALIZAÇÃO NA INTERNET

O videoclipe que as “empreguetes” fizeram na casa da Chayenne está se espalhando pela Internet. Mas ao invés de abordarem essa viralização de uma forma exagerada, com o vídeo alcançando números gigantescos logo de cara, a novela tem mostrado isso de forma bem realista. Ontem mesmo, o personagem “Kleiton”, produtor musical das empreguetes, fez um balanço de como estava sendo o aumento das visualizações, e já se impressionou com o número de 28 mil alcançado em um dia ou dois. Todos nós sabemos que no mercado sertanejo é bem fácil fazer um vídeo chegar a um milhão de views nesse mesmo período e sair divulgando isso como se fosse algo de verdade. Basta pagar. No caso da novela, foi naturalmente, como qualquer outro viral. Incrível como na novela isto está sendo tratado de forma mais realista do que a própria realidade, apesar do paradoxo absurdo.

O CANTOR CANASTRÃO

Fabian é o protótipo do cantor sertanejo moderno. Fora a vestimenta, o cantor reúne diversas características que remontam a alguns dos artistas mais conhecidos da música sertaneja. Dia desses fizeram até um levantamento parecido com o desse item no portal R7 que foi, diga-se de passagem, bem fiel à realidade. O conjunto formado pelo olhar, sempre abaixado e de lado, e boca, com um leve biquinho, por exemplo, é idêntico ao do cantor Eduardo Costa. O nome e o jeito com que interage com o público, com as mãos e tals, remontam ao Luan Santana. E o jeito de cantar que lembra muito o do Daniel, por conta do romantismo. No caso do Fabian, a divulgação inicial da novela o apontava como cantor de sertanejo universitário, mas ele está bem longe disso.

O BRAÇO DIREITO

Todos os artistas de sucesso da novela “Cheias de Charme” têm pelo menos um item indispensável: o seu secretário, o braço direito. Cheyenne tem o Laércio, Fabian tem a irmã e em breve até o Michel Teló, numa breve aparição na novela, vai levar a tiracolo um irmao fictício, o “Theo Teló”, que será vivido por um ator. Assim como na vida real, a função destes secretários é simples: ser mãos, braços, pernas e às vezes até o cérebro dos artistas para quem trabalham. Hoje em dia os artistas só tem uma única preocupação, que é fazer um bom show. Todo o resto é resolvido pelo secretário, desde atender telefonemas até ajudar na escolha das roupas. E isso está sendo muito bem demonstrado na novela, com os secretários resolvendo tudo e mais um pouco para seus patrõezinhos.

AS ARTIMANHAS

Dia desses aproveitei uma cena da novela para escrever um texto que rendeu uma baita de uma polêmica nos comentários. A cantora Cheyenne assinou um contrato de cessão de direitos com a Rosário, que passava a ela a assinatura da composição de uma canção e todos os direitos dali subsequentes. Tal artimanha é absurdamente comum na vida real. Quando foi questionar o empresário da cantora, Rosário ouviu da boca dele que ela deveria se dar por satisfeita, já que músicas boas aparecem aos montes, e a maioria delas de graça, o que também é uma verdade incontestável. Fora a artimanha da cessão de direitos, a Cheyenne também inventou um namoro de mentira com o Fabian só para aproveitar a fama do pupilo e tentar voltar aos holofotes. E funcionou. É o “marketing do factóide”, descrito aqui num texto do fim no ano passado. Aliás, essa coisa da critura superar o criador e depois acabar servindo de escada para o criador voltar a chamar atenção é também muito comum na música sertaneja.

A JOVEM ARTISTA ILUDIDA

Talvez o mais fiel retrato da realidade mostrado na novela. Rosário é uma jovem cantora e compositora que sonha em fazer sucesso. Para isso, ela segue uma cartilha que muuuuuuuuuuuuuitos artistas iniciantes também seguem: gravar um CDzinho DEMO e sair mendigando a atenção de um grande artista ou de um grande empresário, alimentando a ilusão de que eles vão de fato ouvir a canção e ainda dar a força que ela precisa. Dia desses, numa das cenas mais melancólicas da novela, a Rosário se decepcionou ao acreditar piamente que o Fabian a chamaria para cantar com ele no palco. Quantos artistas em início de carreira não tem essa ilusão? A de que basta chegar e pedir que um artista grande vai deixá-lo subir no palco e cantar uma canção junto com ele. Não é assim que a banda toca. Hoje em dia, é tudo um jogo de interesses. A única vez que a música da Rosário foi de fato ouvida pelo artista ou pelo empresário foi na ocasião da cessão de direitos. E ainda rendeu um banho de realidade por parte do epresário Tom Bastos pra cima dela quando ela pediu sua sinceridade. Quando compôs a música “Vida de Empreguete”, que está fazendo sucesso na Internet, a Rosário teve inicialmente a idéia de gravar um CD e colocar na mão do Tom Bastos. Mas o Kleiton, produtor da canção, a fez acordar: “Que coisa mais antiga, Rosário”. Afinal de contas, é isso que é. Essa realidade não existe mais. Essa ilusão é infundada. Hoje em dia, o mercado é bem diferente, mas mesmo assim muitos jovens artistas ainda vivem de ilusões.