TOP FIVE – Melhores discos de 2014

Mais um ano se acaba e, como já é tradição por aqui desde 2008, o nosso último post antes do começo de uma nova volta do planeta Terra em torno do sol é uma lista com os 5 melhores discos do ano. Mas antes, algumas considerações se fazem necessárias, pra variar.

Confesso que me surpreendi com a qualidade dos discos lançados em 2014. Depois de um 2012 e um 2013 considerados grotescos pra muita gente por conta das letras pobres da maioria das canções que fizeram grande sucesso, em 2014 as paradas voltaram a ser dominadas por canções consideradas de qualidade. “Domingo de Manhã” foi a música mais tocada do ano nas rádios. O belo clipe de “Mozão” foi o mais visto do ano no Youtube, numa lista que contou também com “Domingo de manhã” e “Até você voltar” entre as 10 mais vistas.

As críticas feitas em 2014 giraram muito mais em torno de preferências pessoais (como as que sempre são feitas contra o Lucas Lucco, por exemplo) do que propriamente da qualidade do material lançado no decorrer do ano. A coisa da “sofrência”, que se destacou no segundo semestre, ajudou a retomar ainda mais certas características do gênero sertanejo que haviam ficado esquecidas em décadas passadas.

Uma outra coisa engraçada de 2014 é que os discos de regravações não foram tão celebrados quanto eram antigamente. Talvez pela enorme quantidade de lançamentos desse tipo. Parece que eles se tornaram comuns e já não são mais uma novidade tão incrível assim.

Dito isso e baseado nos reviews escritos e postados aqui no Blognejo e nas notas dadas a cada disco, segue abaixo a nossa lista com os melhores trabalhos do ano.

JADS & JADSON – É DIVINO

Demorou um tempo até que Jads & Jadson pudessem enfim mostrar ao Brasil o porquê do segmento sertanejo já nutrir um grande respeito por eles. Eles já tinham prestígio. Com “Jeito Carinhoso”, eles transformaram o prestígio em sucesso nacional. E agora, com este novo disco, eles mostraram a continuidade da qualidade do trabalho deles. Ano passado eu listei aquele DVD gravado em Maringá como o segundo melhor disco do ano, atrás apenas do disco “O nosso tempo é hoje”, do Luan Santana. Apesar deste novo DVD não ser tão bom quanto aquele, ele mantém as principais características da dupla em evidência, como o repertório de qualidade e sempre voltado ao lado tradicional do sertanejo, a paixão pela viola caipira, entre outros elementos. Mais um bom trabalho de uma dupla que sabe como as coisas devem ser feitas.

BRUNO & MARRONE – AGORA AO VIVO

Se faltava ao Bruno provar alguma coisa a respeito da sua superioridade como intérprete, talvez fosse um disco com ele interpretando músicas de gêneros variados. Agora não falta mais. No melhor projeto de regravações do ano, a interpretação do Bruno e os arranjos do Dudu Borges “assertanejaram” diversos grandes hits da música brasileira, de Reginaldo Rossi a Djavan, passando por Lulu Santos, Ivete Sangalo, Chiclete com Banana e Capital Inicial. A versão que Bruno & Marrone fizeram de “Oceano” é incrível. E o repertório parece ter sido cuidadosamente selecionado para que o Bruno brilhasse como nunca com a sua principal arma: a voz.

MARCOS & BELUTTI – ACÚSTICO

Um disco coroado com a canção mais tocada de 2014. Há um bom tempo não se via a dupla Marcos & Belutti tão à vontade assim. O primeiro projeto após a assinatura do contrato com a FS não só derrubou todo aquele estigma de alto investimento que havia sobre eles e que tornava o trabalho com a dupla mais difícil do que com outros artistas como também trouxe de volta algumas das melhores características das várias etapas da carreira da dupla. Manteve o lado comercial que a dupla batalhou para mostrar que tinha depois de um primeiro trabalho (o DVD de 2008) tão experimental, mas ao mesmo tempo trouxe a dupla de volta ao formato acústico, evidenciando sempre a grande qualidade vocal dos dois. O sucesso da música “Domingo de Manhã” não só representa o sucesso desse projeto como também cala a boca de um monte de gente que já disse alguma vez na vida que Marcos & Belutti jamais aconteceriam, que era uma dupla boa demais e que o mercado não aceitava isso. Pois parece que aceitou.

GUSTTAVO LIMA – DO OUTRO LADO DA MOEDA

O melhor disco da carreira do Gusttavo Lima. E parece ser o projeto que mais tem a cara dele, talvez porque desta vez ele se dedicou mesmo à produção, junto com o talentosíssimo Daniel Silveira. O resultado é um repertório quase que integralmente romântico, com interpretações rasgadas para músicas que remetem ao que de melhor havia nos anos 90 e arranjos repletos de um virtuosismo incrível. “Do outro lado da moeda”, com a participação de Zezé di Camargo & Luciano, “A nossa preferida sertaneja”, “10 anos” e algumas outras músicas que trazem o melhor do Gusttavo Lima à tôna. Muito se falou sobre a falta de apelo comercial no disco ou sobre como o projeto parece ter mais a cara do Zezé di Camargo do que do Gusttavo Lima. Ora, é evidente que o Zezé, que fez a direção vocal do Gusttavo nesse disco, é a grande inspiração de sua carreira. Fazer um disco que remete tanto ao seu maior ídolo só corrobora a qualidade do projeto e a paixão que o Gusttavo Lima colocou na criação do mesmo. Agora sim dá pra dizer que o Zezé di Camargo encontrou um herdeiro à altura do seu legado.

HENRIQUE & JULIANO – AO VIVO EM BRASÍLIA

Em um ano marcado por eleições e por uma copa do mundo e num mercado onde os artistas têm cada vez mais dificuldade de emplacar um disco inteiro (alguns já começaram a se tornar adeptos do EP, inclusive), emplacar um projeto com tamanho sucesso não é pra qualquer um. Henrique & Juliano emplacaram quase todas as canções do seu segundo DVD, saltaram de um cachê de 80 mil para um de mais de 200 mil quase que instantaneamente e mexeram com o mercado sertanejo, mudando completamente o foco daquela polarização entre escritórios que dominou a esfera comercial do segmento nos últimos 5 anos, pelo menos. Tudo isso com um disco relativamente simples, mas que acertou o público de uma maneira que há um bom tempo ninguém conseguia acertar. O que comprova que, no fim das contas, o que vale ainda é o repertório. A força de canções como “Recaídas” (que faz parte do álbum anterior mas só começou a ser de fato trabalhada quando este DVD foi gravado), “Até você voltar” e “Cuida Bem Dela” só fazem comprovar isso. Poucas vezes eu me deixei levar pelo público na formulação das listas de melhores discos do ano. Dessa vez, entretanto, eu não tive escapatória. O público escolheu. E fincou o pé. Quem é que tem culhões para contestar algo assim?