TOP FIVE – Os melhores discos de 2013

Último dia do ano. Hora, portanto, de repetir a tradição já de anos aqui do Blognejo (desde o começo do blog, pra falar a verdade) e trazer aos leitores a lista com aqueles que eu considerei os melhores trabalhos lançados no ano, com base nas análises feitas e notas dadas através dos Reviews.

O diferencial da lista de melhores do ano do Blognejo para as demais é provavelmente o fato dela ser completamente embasada em análises postadas aqui no decorrer do ano. Tudo o que eu vou postar aqui neste texto já foi devidamente justificado em cada review e seria totalmente incoerente fugir da pontuação dada e montar uma lista de melhores do ano sem ser com base nos reviews, né?

Além disso, o Blognejo não faz distinção entre CD ou DVD e nem entre importância de projeto X ou Y. Se lançou no ano em questão e foi analisado em algum review do blog, entra como possível concorrente nos melhores do ano. Simples assim. Nada de “ah, o disco não entrou nos melhores mas eu fiz um adendo colocando ele como um projeto especial porque ele deve ser encarado de forma paralela aos trabalhos normais”. Isso nem faria sentido.

Também não analisamos DVDs apenas com base nos CDs lançados no mesmo projeto. Tem disco analisado aqui durante o ano, por exemplo, que teve o CD liberado no fim do ano passado e o DVD apenas esse ano. Por isso, é óbvio que o review foi feito só em 2013. E é mais óbvio ainda que o review se baseie no DVD e não apenas nas músicas gravadas, afinal se o cara gasta uma fortuna pra filmar a porra toda, qual o sentido de avaliar apenas as músicas que ele gravou e não o vídeo, né?

Este ano, de um total de 53 discos analisados, 7 receberam a nota máxima na nossa avaliação, o que nos coloca em uma encruzilhada. No ano passado, coincidentemente foram 5 os avaliados com nota 10. Sendo assim, foi uma tarefa complicada esse ano tirar 2 dos 7 discos da lista para deixar apenas os 5 tradicionais do nosso Top Five, até pra não parecer injusto nem nada.

Os dois outros projetos que receberam nota máxima mas que ficaram de fora da nossa lista final foram os DVDs “Matheus & Kauan – Mundo Paralelo Ao Vivo” e “Marco & Mário – #ensaio #acústico”. Ambos são discos espetaculares e mereciam entrar na lista por conta da nota recebida, o primeiro em sexto e o segundo em sétimo, talvez, mas por mérito dos demais, achei mais justo dar a preferência aos trabalhos listados logo abaixo.

Dito isto, vamos à lista.

DANIEL – 30 ANOS – O MUSICAL

Um DVD que é histórico por diversos motivos. Primeiro por contar a história de uma das figuras mais emblemáticas da música sertaneja. Segundo por fazer isso de uma forma inédita, que foi através de um espetáculo teatral e não de um show regular. E terceiro por arrancar lágrimas de quem assiste, acompanhou a carreira e se identifica com toda a história de vida do Daniel, principalmente da sua época com o João Paulo. Este período, aliás, foi tratado com uma dignidade incrível neste espetáculo.

 ISRAEL & RODOLFFO – ACÚSTICO – NA TERRA DO PEQUI

O único CD a entrar na lista. O disco ousa por trazer uma dupla da novíssima geração em um projeto totalmente alternativo e que a gente só esperaria ouvir de artistas veteranos. Canções inéditas em formato acústico, mas todas numa vibe de modão incrível, inclusive com os arranjos sendo tocados justamente de uma forma que remete a um som mais rústico. Uma sacada e tanto da dupla. O projeto agradou tanto que virou até de trabalho.

 CREONE, PARRERITO E XONADÃO – O TRIO DO BRASIL – 40 ANOS

Apesar de todos os contratempos relacionados à disputa pelo nome do Trio Parada Dura, este disco presta a melhor homenagem possível à história de um dos trios mais importantes da música sertaneja. Um repertório absurdamente bom e que valorizou muito os 40 anos do trio, principalmente por ter incluído quase todas as músicas em formato Pout Pourri, o que permitiu com que muita coisa relevante entrasse na set list. A roupagem musical do projeto, com cordas e tudo mais, valoriza ainda mais o disco, cujas participações especiais também ajudam a dar uma ideia do que de fato o Trio Parada Dura representa para a música brasileira.

 JADS & JADSON – AO VIVO

Como eu disse no review, é o repertório mais linear do ano. Dá pra escutar do começo ao fim, sem pular faixa, e são todas músicas com potencial para serem trabalhadas. Com o adendo de ser também um disco incrível na parte visual, com uma textura perfeita de vídeo e um cenário fantástico, mesmo criado a partir de uma ideia tão simples, o que prova que as ideias ainda são o grande diferencial em um bom projeto. Não à toa, o disco alçou a dupla Jads & Jadson, que já era muitíssimo respeitada no meio, ao sucesso em nível nacional. Merecidíssimo.

 LUAN SANTANA – O NOSSO TEMPO É HOJE

O grande projeto de 2013. O disco acerta em praticamente todos os aspectos: no cenário fantástico e na direção visual da Joana Mazzuchelli, que mostrou mais uma vez porque ela é a grande vedete dos DVDs de arena; na interação sempre fantástica do Luan Santana com o seu público, que é sem dúvida o mais fiel de todos; na presença de palco e no talento dele como artista, que ano após ano só fazem aumentar; no repertório incrível, que mostrou o necessário amadurecimento musical do Luan e corroborou sua independência criativa; e na produção musical, que comprovou o que muita gente já imaginava há tempos: que a parceria entre o Luan Santana e o produtor Dudu Borges renderia frutos incríveis.

Bem, é isso. O último post de 2013. Nem precisa falar que este texto expressa apenas a opinião do blog, né? Portanto, sem brigas desnecessárias, por favor. Mas fiquem à vontade para debater a respeito e postarem suas próprias listas no campo de comentários.

E quem 2014 seja um ano de prosperidade e sucesso para todos nós. Obrigado por continuarem comigo por mais um ano, aturando as besteiras que escrevo e permitindo que eu faça parte do dia a dia de todos vocês. Feliz ano novo!!!