Um ano após a partida do irmão, Felipe Araújo grava primeiro DVD, com a benção da nata sertaneja

Um ano. No último dia 24, completou-se um ano desde a partida do eterno Cristiano Araújo, o cara que estava destinado a ser o maior do Brasil. Em que pesem todas as mudanças pelas quais o mercado da música sertaneja passou desde a sua partida (e não foram poucas), a carreira do Felipe Araújo provavelmente não seria a mesma caso o Cris ainda estivesse vivo.

Pego de surpresa com a notícia trágica, o jovem cantor se viu compelido a mudar os planos que tinha na música e se dedicar a uma carreira solo, fosse para atender ao sonho do pai ou talvez ao próprio. A verdade é que, convenhamos, tudo aconteceu muito rápido. Ainda assim, este primeiro ano da morte do Cristiano acabou sendo também um ano de intenso aprendizado e de preparação para o Felipe. E apesar dele praticamente assumir de forma automática o imenso fã-clube do Cris e aparecer em diversos programas de TV e outras mídias, sempre com a homenagem ao irmão como tema, sua carreira solo ainda não havia sido planejada para decolar tão abruptamente.

Confesso que observei os primeiros meses da carreira solo do Felipe Araújo com certa cautela. É que, convenhamos, a comoção em torno do Cristiano ainda era (e é) muito intensa. E o fato é que a carreira do Felipe não poderia ser baseada apenas nisso. Ele precisava brilhar sozinho, se quisesse que sua carreira tivesse de fato uma continuidade e se consolidasse. Ao mesmo tempo, não era sensato desperdiçar a oportunidade de estar em grandes programas de TV apenas porque o tema principal seria o Cristiano e não ele. Ou seja, os primeiros meses foram de um certo paradoxo.

Mas, inteligentemente (mérito também dos profissionais experientes envolvidos na sua carreira, como o Raffael Vanucci), na medida em que o interesse dos programas pelo Cristiano foi passando, a carreira do Felipe pôde ir se desenhando de forma mais independente, culminando com este primeiro DVD, que ele gravou no último dia 14/06. Ao contrário do que alguns pudessem esperar, o DVD não foi meramente uma grande homenagem póstuma ao Cristiano. Longe disso. Tirando a música que ele gravou em parceria com o irmão (daqui a pouco falo mais a respeito), o DVD foi todo Felipe Araújo, do começo ao fim.

E é curioso como o Felipe acabou gravando um DVD que seu irmão infelizmente não teve tempo de gravar, com a participação da nata da música sertaneja, como se recebesse ali a benção deles. Zezé di Camargo & Luciano, Leonardo, Jorge & Mateus e Henrique & Juliano, todos eles principais expoentes de suas respectivas gerações, além de Simone & Simaria, que também participaram. Pode parecer estranho dizer isso, mas a partida abrupta do Cristiano com certeza fez muita gente se arrepender de não ter aberto os braços para aquele jovem artista em franca ascensão quando teve a chance, algo que aparentemente não querem mais correr o risco de deixar acontecer. Talvez seja este um dos pontos que justificam o apoio de tanta gente forte ao Felipe em tão pouco tempo de carreira solo.

É claro, no entanto, que o Felipe também vem se mostrando um artista cada vez mais preparado. O timbre vocal potente, a presença de palco, o carisma, a humildade, tudo isso tem contribuído para que ele conquiste um respeito cada vez maior como artista. As mesmas pessoas que vi duvidando de sua capacidade quando ele partiu para a carreira solo hoje falam sobre ele de forma completamente diferente.

O DVD deve ajudar a mostrar isso de forma definitiva. Além de enfim colocar o Felipe como aposta sólida do segmento sertanejo, o DVD pode consolidar também a carreira do produtor Blener Maycon em âmbito nacional. Este ano ele já emplacou um hit com a Naiara Azevedo e o DVD do Felipe, com a chancela de tantas participações de peso extremo, pode contribuir ainda mais para o seu crescimento.

O repertório também se mostrou acertado. Além de botar Zezé & Luciano para cantarem uma música cujo clímax é a expressão “é foda”, o Felipe trouxe boas canções agitadas, como “Álcoonteceu”, e românticas, como “1, 2, 3”. A participação do Leonardo também foi bastante marcante. Ele entrou no palco para cantar com o Felipe a música “Quero ser o seu dono”, uma das mais belas da sua carreira com o irmão Leandro (o que é bastante simbólico, já que estamos falando de dois cantores que seguiram carreira solo depois de perderem o irmão), mas com um diferencial: João Reis, pai do Felipe, entrou junto com o Leonardo, fazendo a segunda voz.

A participação mais marcante, no entanto, ficou a cargo do Cristiano. Aproveitando cenas do DVD “In The Cities”, Cristiano cantou com Felipe a música “Perdeu o cara errado”, que é composição do Felipe e havia sido gravada naquele projeto. A imagem do Cris foi projetada no LED como se ele estivesse presente à gravação.

A segurança do Felipe, mesmo tendo ele tão pouco tempo de carreira solo e sendo este seu primeiro DVD, também saltou aos olhos. É fato que ele tem isso no sangue. E, agora, se mostra pronto para encarar um mercado e um mundo em que ele não precisa ser taxado apenas como o irmão do Cristiano. Felipe Araújo, herdeiro de um legado incrível, que agora tem a chance de continuar o excelente trabalho do irmão, mas com a sua própria personalidade e talento e um ótimo DVD a tiracolo.

Abaixo, fotos da gravação.